ERA UMA VEZ... LITERATURA INFANTIL COMO GÊNERO LITERÁRIO E SEUS ENCANTAMENTOS

Eduardo Dias da Silva, Claudio Ricardo Chaves Moraes

Resumo


este artigo qualitativo se insere na perspectiva interpretativista de pesquisa exploratória (Almeida, 1996; Gil, 1993; Marconi; Lakatos, 1990), consistindo em apresentar algumas reflexões suscitadas a partir da relação entre a teoria do gêneros discursivos (Bakhtin, 2000; 2013), Literatura Infantil (Abramovich, 1997; Aguiar et al, 1982; Arroyo, 1990; Coelho, 2000; 2002), leitura e a prática (Lajolo, 2008; Lajolo; Zilberman, 1999; Martins, 2006; Zilberman, 2003), traduzidas na experiência da construção do fazer pedagógico em ambiente escolar. Busca-se responder ao seguinte questionamento: a Literatura In-fantil, como gênero literário a ser trabalhado na escola, pode contribuir de que maneira para o ensino-aprendizagem das crianças? Esta questão está presente no contexto das instituições de Educação Básica, explicitando a complexidade embutida na categorização Literatura Infantil, sobretudo considerando a construção histórica desse conceito no contexto brasileiro. Através deste trabalho, é possível ponderar sobre alguns de muitos aspectos que envolvem o desenvolvimento da leitura mediada pela Literatura Infantil e compreender que o desenvolvimento do ensino-aprendizagem de crianças não se limita às ideias de tarefas, mas se perpetua como caminho para novas reflexões sobre a própria língua e linguagem.

Palavras-chave


Literatura Infantil; gênero literário; leitura; ensino-aprendizagem

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page