Projetos de orquestras infantojuvenis na perspectiva da economia criativa

Tatiane Lopes Duarte, Lúcia da Rosa Gama Madruga, Calusa Grendene Maculan

Resumo


Este artigo tem como principal objetivo fazer uma analogia dos projetos de orquestras infanto-juvenis com a Sete fases da implementação de Economia Criativa e arranjo produtivo da música evidenciadas no referencial teórico no qual concentrou-se na economia criativa. O objeto de investigação foi os Projetos de Orquestras infanto-juvenis situados nos estado do Rio Grande do Sul, Bahia e São Paulo e realizou-se uma pesquisa exploratória descritiva com abordagem qualitativa. A pesquisa foi estruturada em três etapas: (i) documental; (ii) observação; e (iii) entrevistas. A análise dos dados foi realizada por meio de análise textual, análise de protocolos e registro, análise de conteúdo. A partir da análise de conteúdo dos dados realizou-se uma analogia com as figuras. Um destaque nos resultados foi a transformação social, mostrou-se uma evidência empírica da pesquisa quase que incontestável, uma vez que diferentes espaços, momentos e pessoas denotam os resultados sociais, culturais, educacionais e, por que não dizer econômicos, que tais iniciativas proporcionam aos jovens e famílias envolvidas.

Texto completo:

PDF PDF


Locations of visitors to this page