QUALIDADE DE VIDA E CAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSOS RESIDENTES EM UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA

Cleonice de Sousa Feitor, Rodrigo Leite Rangel, Jocelma Silva Borges, Renato Novaes Chaves

Resumo


O objetivo basilar foi avaliar a qualidade de vida e a capacidade funcional de idosos residentes em uma Instituição de Longa Permanência. Trata-se de um estudo descritivo, de corte transversal, com abordagem quantitativa, realizado com 20 idosos de uma Instituição de Longa Permanência de uma cidade do interior da Bahia. Foi utilizado o questionário SF36 para a qualidade de vida, o Índice de Barthel para a capacidade funcional e um formulário para o perfil sociodemográfico, como instrumentos de coleta de dados. O tratamento dos dados foi mediante à estatística descritiva. Os resultados apontam prevalência de idade entre 60 a 79 anos. Nos domínios do SF36, as melhores médias foram nos aspectos físicos e emocionais. Na capacidade funcional constatou-se prevalência de idosos com dependência leve (30%). Predominância de portadores diabéticos ou hipertensos associados a outras patologias (50%). Os etilistas (45%) e/ou tabagistas (80%) acreditam que esses hábitos contribuíram para a dependência funcional. Dessa forma o estudo demonstrou que a QV dos idosos em questão se apresenta de maneira insatisfatória, pois eles tiveram as piores médias na maioria dos domínios do SF36, tais como: capacidade funcional, dor, estado geral de saúde, vitalidade e aspectos sociais.

Palavras-chave


Qualidade de Vida; Envelhecimento; Instituição de Longa Permanência para Idosos.

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page