FEMININO E SOCIEDADE EM LA FUERZA DE LA SANGRE, DE MIGUEL DE CERVANTES

Andre Rezende Benatti, Aloísio Alves de Araújo Júnior

Resumo


Este trabalho tem por objetivo fazer uma leitura do feminino em, La fuerza de La sangre, de Miguel de Cervantes, publicada em 1613. Uma leitura do feminino em Cervantes é permeada pelas diversas mazelas a que as mulheres foram submetidas na sociedade ocidental e não por acaso a violência está subscrita em toda a novela. Interessa-nos o modo como esse feminino, envolvido pela violência na sociedade espanhola do século de ouro. Para tal nos valeremos dos conceitos e crítica de Peter Stearns, Simone de Beauvoir, Rita Terezinha Schmidt no trato com o feminino, e dos estudos sobre Cervantes de Maria Augusta Vieira da Costa, Ernani Ssó e Edward Calverley Riley.

Palavras-chave


Novelas ejemplares; Miguel de Cervantes; La fuerza de La sangre.

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page