O SENTIMENTO DE NÃO-PERTENCIMENTO DA POETA ELIZABETH BISHOP

Fátima Cristina Rivas Filipe de Oliveira, Jacqueline de Cassia P. Lima, Idemburgo Pereira Frazão Félix

Resumo


Este artigo tem como objeto de estudo as questões de identidade e pertencimento da poetisa modernista Norte Americana Elizabeth Bishop, dando ênfase a sua poética e de que modo as questões relacionadas a sua intensa busca de um lar interferiram na forma de compor os seus poemas. Utilizamos como apoio a tradução do poeta contemporâneo brasileiro Paulo Henriques Britto, além da capacidade criativa que é exigida dos tradutores da lírica, contido no volume Poemas Escolhidos de Elizabeth Bishop (2012), organizado por ele por meio de sua seleção, textos introdutórios, além de traduções propriamente ditas; An anthology of Twentieth-Century Brazilian Poetry contendo poesias brasileiras traduzidas para a lingual inglesa por Elizabeth Bishop (1972); Uma arte: as cartas de Elizabeth Bishop, traduzidas por Paulo Henriques Britto (1995), dentre outros autores importantes utilizadas para a reflexão relacionada às identidades como: Robert Castells (2000); Jésus Martín-Barbero (2006); José de Souza Martins (2002); Georg Simmel (1973); Zygmunt Bauman (2004); e Fabiana Dultra Britto e Paola Berenstein Jacques (2012). A questão da identidade de Elizabeth Bishop presente em sua obra é analisada sob o ponto de vista das interferências da similaridade e da globalização, trabalhando com elementos biográficos contidos em textos e cartas.

Palavras-chave


Elizabeth Bishop – Identidade - Poema

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page