A adoção das IFRSS na perspectiva da subjetividade: uma investigação quanto a evidências de gerenciamento de resultado

Jane Kelly Batista Ramalho Pedroza, Jaqueline Gomes Rodrigues de Araújo, Márcia Reis Machado

Resumo


A proposta deste estudo é verificar se existem evidências de gerenciamento de resultados antes a após a adoção de IFRSs no Brasil, em empresas classificadas no nível 1 de governança corporativa da BM&F BOVESPA. A pesquisa está baseada em uma amostra de 27 empresas, já extraídas as instituições financeiras classificadas nesse nível. O período analisado compreende o período de 2004 a 2011 e o modelo utilizado para detecção de gerenciamento de resultados foi o modelo de Burgstahler e Dichev (1997). Para a análise dos dados utilizou-se de estatística descritiva e distribuição de frequência (histograma) como prevê o modelo. As evidências encontradas nesta pesquisa indicam a existência de gerenciamento de resultados em torno de zero no Brasil. Esses resultados são condizentes com o estudo realizado por Burgstahler e Dichev (1997). No entanto, não se pôde verificar o grau de intensidade deste gerenciamento, em virtude de limitação própria do modelo. Os resultados também não permitem confirmar se a adoção das IFRSs foi o único fator determinante desse resultado, visto que não são percebidas grandes variações nos períodos analisados (Pré e Pós IFRS).


Palavras-chave


Gerenciamento de resultados. IFRSs. Demonstrativos financeiros.

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page