Estágios do Ciclo de Vida Organizacional: Análise do Poder Explicativo de Medidas de Risco e de Desempenho das Empresas Listadas na Bm&Fbovespa

Ailza Silva de Lima, Evelyne Vilhete Antonio de Carvalho, Paulo Roberto Nóbrega Cavalcante, Paulo Amilton Maia Leite Filho

Resumo


A teoria do ciclo de vida sugere que uma empresa possui características de risco e atributos econômicos diferentes em distintos estágios do ciclo de vida. Com base nos modelos de previsão de retornos esperados investigados por Xu (2007) e Omrani et al. (2011), o objetivo desta pesquisa foi analisar o poder explicativo das medidas de risco em relação às medidas de desempenho para previsão de retornos esperados em diferentes estágios do ciclo de vida em empresas listadas na BM&FBOVESPA entre o período de 2006 a 2011. Inicialmente, as empresas foram dividas em carteiras de acordo com o estágio de ciclo de vida, seguindo a classificação estabelecida nos estudos de Anthony e Ramesh (1992). Em seguida, verificou-se através do coeficiente de determinação se medidas de desempenho e de risco das empresas apresentavam diferenças significativas em diferentes estágios do ciclo de vida. Os resultados evidenciam que no estágio de crescimento e maturidade o poder explicativo das medidas de desempenho é maior do que das medidas de risco; já no estágio de declínio o poder explicativo das medidas de risco é significativamente maior.

Palavras-chave


Ciclo de Vida Organizacional; Medidas de risco; Medidas de desempenho.

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page