ORALIDADE E TRANSCULTURALIDADE NA ESCRITA DE MIA COUTO

Maria Geralda Miranda, Analiza Silva Ambrozio

Resumo


O presente ensaio procura enfocar questões relativas à oralidade e à transculturalidade presentes na obra do escritor moçambicano, Mia Couto, a partir de três narrativas curtas, “Nas águas do tempo”, “Lendas de Namarói” e “Chuva: a abensonhada”, estudadas no decorrer deste trabalho. Tais histórias registram variadas possibilidades de trocas culturais entre africanos, árabes e portugueses, em território moçambicano. Percebe-se também que esse mesmo processo de “transculturação” é impulsionador de diferenciação e reafirmação de identidades.

Palavras-chave


Narrativa curta, ancestralidade, memória, Mia Couto, Moçambique

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page