VARIAÇÃO DO DUPLO PRODUTO APÓS EXERCÍCIOS CONTRARRESISTÊNCIA SOB DIFERENTES CARGAS DE TRABALHO

Paulo Gil Salles, Nicolau Maués Serra Freire, Luis Filipe Nossar Prisco

Resumo


O objetivo deste trabalho foi analisar a resposta do Duplo Produto (DP) e seus fatores no período pós-exercício contrarresistência (ECR), quando utilizado protocolos com diferentes cargas de trabalho. Os voluntários, divididos aleatoriamente em Grupo Controle (n=7) e Grupo Experimental (n=11), foram submetidos a três sessões de exercícios com cargas de trabalho de 1200, 940 e 510 (rep/kg) e tiveram a Pressão Arterial Sistólica (PAS) e a Frequência Cardíaca (FC) verificadas em repouso e nos minutos 15, 30, 45 e 60 após a sessão de exercícios. O teste T-Student foi utilizado para comparação intergrupos e intragrupos, com nível de significância bicaudal de α=0,05. Os resultados mais importantes foram que: (a) sessões de ECR com cargas de trabalho de 1200, 940 e 510 rep/kg produziram respostas agudas da PAS, no período pós-exercício, bastante semelhantes e (b) valores do DP após ECR com carga de trabalho de 940 rep/kg foram significativamente inferiores aos valores do DP após ECR com cargas de trabalho de 1200 e 510 rep/kg. É possível concluir que a carga de trabalho dos exercícios não é fator determinante para variação da PAS no período pós-exercícios, mas tem influência na variação da FC. A resposta do DP no período pós-exercício é dependente da interação entre a PAS e a FC e o protocolo onde essa interação foi mais favorável para a redução do trabalho cardíaco foi o que apresentava carga de trabalho relativa a 940 rep/kg.

Palavras-chave


Saúde

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page