METODOLOGIAS DE CUSTOS APLICÁVEIS AO ENSINO PÚBLICO: ENSINO PROFISSIONAL, TEORIA DO CAPITAL HUMANO E CUSTO-ALUNO

ABIMAEL DE JESUS BARROS COSTA, Ana Paula de Melo Batista, Eduardo Caetano Tavares, Marco Aurélio de Sousa

Resumo


O objetivo geral da pesquisa foi identificar metodologias de custo-aluno aplicadas ao ensino. Trata-se de um estudo pioneiro que relaciona a importância do ensino profissional com a dificuldade de se implantar um sistema de custos para as unidades da Rede Federal de Educação Tecnológico. Para um país emergente como o Brasil, o empreendimento nessa modalidade de ensino tem uma função primordial para o crescimento econômico. O Plano Nacional de Educação, no que tange aos cursos técnicos, propõe medidas arrojadas que se forem colocadas em prática contribuirão para consolidar esse segmento de ensino. A metodologia do trabalho foi construída em três partes, a primeira se trata da contextualização histórica do ensino profissional no Brasil, a segunda relaciona a Teoria do Capital Humano aos cursos de formação profissional e a terceira de uma revisão da literatura quanto às metodologias de apuração do custo-aluno no ensino público. A Teoria do Capital Humano, utilizada na pesquisa como suporte teórico, preconiza que os gastos em educação devem ser tratados como investimento, daí surge a relação entre qualificação profissional e melhores rendimentos futuros, pois a educação proporciona melhores condições de trabalho e renda, além de injetar no mercado profissionais qualificados que contribuem com a economia de um modo mais amplo, gerando externalidades positivas nas áreas econômicas e sociais. As metodologias de custo-aluno mais citadas na revisão de literatura foram realizadas por Schwartzman (1994), Reinert (2005), Tribunal de Contas da União – TCU (2002) e FORPLAD (2003). Palavras-chave: Custo aluno, ensino tecnológico.

Palavras-chave


Custo no Setor Público; Teoria do Capital Humano; Ensino Tecnológico

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page