CONSTITUIÇÃO DE OBJETO TRANSICIONAL NA CRIANÇA AUTISTA: INTERVENÇÃO NO PSICODIAGNÓSTICO

Isabella Santos e Andrade, Amanda Riccioppo Slaviero

Resumo


O estudo de caso relata a constituição de objeto transicional em criança autista. O relato tem por finalidade apresentar o progresso do caso que se deu com a constituição do objeto transicional por uma criança autista no processo do psicodiagnóstico. O Transtorno do Espectro Autista é uma síndrome que apresenta alterações de comportamento apresentando movimentos estereotipados e afeta a comunicação e a linguagem. No processo do psicodiagnóstico os atendimentos ocorreram uma vez por semana e foram realizadas entrevistas, intervenções e observações, que foram fundamentadas na teoria e técnica psicanalítica de importantes conceitos de Winnicott, entre eles o de mãe suficientemente boa, preocupação materna primária e objeto transicional. Nos atendimentos com a criança foi oferecido um ambiente seguro e identificamos suas necessidades que não puderam ser devidamente atendidas na primeira infância, ou seja, onde houve falhas do ambiente e, consequentemente, no desenvolvimento da criança. A criança teve liberdade para usar o espaço à sua maneira, o que culminou na constituição de um objeto transicional. Nas considerações deste caso é destacado que o ambiente proporcionado à criança possibilitou seu desenvolvimento, estabelecimento de novas relações e uma nova visão de si, diferente da enquadrada pela família e pela escola.

Palavras-chave


meio ambiente, objeto transicional, autismo infantil

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page