ALCOOLISMO, UM CAMINHO PARA A VIOLÊNCIA NA CONJUGALIDADE

Thais Batista Ferreira, Arianna Oliveira Santana Lopes

Resumo


Objetivou-se analisar a relação do uso do álcool pelo agressor com a violência contra mulher praticada na conjugalidade. Os dados são do Sistema de Informação de Agravos e Notificação (SINAN), da cidade de Vitória da Conquista Bahia. Trata-se de um estudo descritivo-exploratório, de abordagem quantitativa. A pesquisa foi realizada com todas as notificações do sexo feminino, no período de 2010 a 2014, com faixa etária de 10 a 49 anos. A análise foi realizada através do programa SPSS 23.0 e aplicação do teste de Kruskal Wallis, obtendo os seguintes resultados: as mulheres vítimas de violência na conjugalidade são pardas (44,1%), com idade entre 30 e 39 anos (29,5%), ocupação informal de domésticas (18,5%) e possuem ensino fundamental incompleto (44,1). A maioria sofreu violência psicológica (80,5%), mantinha relação de conjugalidade com o agressor (60,3%) e um número considerável dos agressores fazia o uso de álcool (39,4%). A aplicação do teste demonstrou uma relevância do uso álcool com as variáveis escolaridade, violência física, psicológica e financeira e as relações de conjugalidade. Observou-se que o uso do álcool potencializa a agressão a mulher desse perfil, é um caminho que favorece a violência, principalmente na conjugalidade, e que precisa ser discutido e sinalizado em busca de soluções que venham minimizar riscos e consequências para a saúde da mulher.

Palavras-chave


Violência; Alcoolismo; Gênero.

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page