REPRESENTAÇÕES CONTEMPORÂNEAS DE SOBREVIVENTES DO NAZISMO NA LITERATURA BRASILEIRA

Shirley de Souza Gomes Carreira

Resumo


Entre 1933 e 1945, o mundo vivenciou a ascensão do nazismo, cuja política de limpeza étnica promoveu um dos episódios mais trágicos da história humana: o Holocausto. Desde o fim da guerra, foram muitas as obras escritas por sobreviventes, que trouxeram à baila a dimensão do horror a que foram submetidos os judeus, dentre outras minorias raciais e sociais. É isto um homem?, de Primo Levi, foi a primeira e a de maior impacto, haja vista que tem sido o referencial para muitas outras, de caráter ficcional, inclusive. Este trabalho propõe uma breve análise de duas obras da literatura brasileira contemporânea que abordam, direta ou indiretamente, o exílio que muitos judeus se autoimpuseram a fim de escapar do nazismo, Diário da queda, de Michel Laub, e O cisne e o aviador, de Heliete Vaitsman, a fim de demonstrar como esses romances abordam a questão da memória e do trauma.

Palavras-chave


memória, trauma, nazismo

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page