O lugar do outro/Outro nos discursos jornalístico-literários

Atilio Catosso Salles

Resumo


Os sons, as palavras, as imagens, [...] que nos cerceiam apresentam uma impressão de transparência/ literalidade em seus sentidos, como dados a priori. No entanto, o procedimento de interpretação que nutrimos em relação aos sentidos é o da multiplicidade, da largueza, da possibilidade de emaranhamento, cujo efeito de perda/ganho se dá no mesmo espaço, pela opacidade da língua/sujeito/história. Assim, a pesquisa que segue é resultado do interesse de compreender o funcionamento da multiplicidade dos sentidos que se estabeleceu na tessitura da escrita jornalística do século XIX (A Opinião-1878 e O Povo-1879), no estado de Mato Grosso, em face da produção poética de José de Alencar. Para trilhar esse percurso de leitura, filiamo-nos à teoria da Análise de Discurso de linha francesa, perguntando pelos modos a partir dos quais a escrita jornalística materializa e produz sentidos para o sujeito e para própria língua.

Palavras-chave


Língua; Memória; Alteridade.

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page