CONSTITUIÇÃO IDENTITÁRIA DO SUJEITO INDÍGENA: EM BUSCA DE UMA COMPREENSÃO INTERCULTURAL

maria luceli faria batistote

Resumo


Segundo proposição da gramática comunicativa, no processo ensino/aprendizagem do Português como segunda língua, (PL2), o ensino da gramática deve tomar como ponto de partida necessidades e interesses comunicativos dos aprendizes, integrando reflexões sempre a serviço desses propósitos e conforme prioridades daí advindas. Nessa direção, propomos apresentar, neste trabalho, problematizações em busca de uma compreensão intercultural a partir de experiências vivenciadas sobre o ensino de língua portuguesa para aprendizes indígenas. Tomamos por base os pressupostos teóricos de autores como Matte Bon (1995), Marcuschi (2008) e Santos (2011), que postulam uma abordagem de ensino de língua contextualizado, em situações comunicativas, levando-se em conta a situação enunciativa como elemento fundamental para desenvolver habilidades linguístico-textual-discursivas do aprendiz. Os resultados da pesquisa apontam o contexto cultural capaz de proporcionar uma reflexão crítica sobre as concepções de língua que envolvem os vários saberes e também conhecimentos tradicionais. Esses dados indicam o quanto é importante para o professor uma nova postura em relação à concepção de língua e à abordagem de ensino a ser adotada.

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page