FASCISMO LATENTE E A AGENDA CONSERVADORA NO BRASIL

Francisco Thiago Cavalcante Garcez, Laura Hêmilly Campos Martins, Ítalo Moura Guilherme, Kevin Samuel Alves Batista

Resumo


O objetivo do presente artigo é compreender a relação da agenda conservadora com o fascismo no seu curso histórico e as possíveis repercussões para a política no Brasil. Compreendemos – embasados no referencial teórico e em fatos empíricos – o fascismo como uma tendência, não necessariamente manifestada apenas pelo Estado fascista, mas por indivíduos, agentes políticos, intelectuais, mídia, líderes políticos e pelo povo. Enquanto tendência, o fascismo pode progredir paulatinamente, tratando-se de uma conduta que inicialmente nega o diálogo ou a representação política de um indivíduo diferente até a completa eliminação deste. No Brasil, elementos conservadores presentes no percurso da formação da sociedade brasileira, como, por exemplo, o racismo, patriarcado, machismo, agem como agentes catalisadores de um fascismo latente.

Palavras-chave


Fascismo. Conservadorismo. Política.

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page