QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: UM ESTUDO À LUZ DOS FRENTISTAS DE POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

Luis Eduardo Brandão Paiva, Guilherme Davi Lousada Pontes, Tereza Cristina Batista de Lima

Resumo


Este estudo tem como objetivo investigar a percepção dos frentistas sobre a sua Qualidade de Vida no Trabalho (QVT), baseando-se no modelo teórico de Walton (1973). A relevância dessa temática se deve pela necessidade de estudar o público escolhido e seus níveis de QVT, pois trata-se de um perfil pouco explorado na literatura. Este estudo utilizou uma abordagem quantitativa, descritiva. A análise de dados se deu por meio de uma survey junto a 100 frentistas de postos de combustíveis. Os resultados obtidos apontam para uma satisfação quanto às variáveis descritas no modelo de Walton, sendo Trabalho e Espaço total de Vida, Integração Social na Organização e Relevância Social da Vida no Trabalho as categorias que receberam as maiores avaliações, embora todas tenham apresentado resultado regular ou superior. De modo geral, as médias das categorias apresentadas foram entre indiferente e satisfatória, demonstrando a percepção dos frentistas acerca da QVT.

Palavras-chave


Percepção; Postos de Combustíveis; Qualidade de Vida no Trabalho.

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page