Cultura organizacional universitária: proposta de um instrumento de mensuração

Márcia Zampieri Grohmann, Luciana Flores Battistella, Daiane Lindner Radons

Resumo


Modelos de cultura organizacional são, normalmente, desenvolvidos por autores internacionais e têm como foco organizações com fins lucrativos. Assim, este estudo procura validar um instrumento, desenvolvido por Hofstede, et al. (1990), para a realidade de uma Instituição de Ensino Superior Federal (IESF).  Para tanto, foi realizado um estudo quantitativo com 361 alunos da instituição. Os resultados demonstraram que de todas as 76 variáveis existentes no modelo original, restaram apenas 32. Após a análise fatorial, restaram 13 variáveis que foram agrupadas em cinco fatores: dois representando valores (condições de trabalho e autonomia) e outros três representando práticas (controle, desempenho dos funcionários e auxílio aos funcionários). O instrumento final para mensuração da cultura organizacional universitária apresentou confiabilidade e validade consistentes, pois o alpha de Cronbach do instrumento foi 0,786; KMO com valor de 0,743 e variância explicada de 66,3%. Assim, conclui-se que este instrumento é uma alternativa viável para que se iniciem maiores estudos sobre o tema e se busquem novas formas de mensurar a cultura das instituições de ensino superior.


Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page