Ficção e Realidade nos conteúdos enunciativos do Boulevardzeitung na Alemanha: o que mudou em 60 anos de existência

Poliana Coeli Costa Arantes

Resumo


O presente artigo busca não só resgatar a história e memória do jornalismo do tipo “Boulevardzeitung” existente na Alemanha desde o século XV, estimulado pelo surgimento da imprensa por Johannes Gutenberg (1447) até os dias atuais, como também analisar discursiva- e criticamente o desenvolvimento ficcional em seus discursos. Este tipo de jornalismo é uma tradição que ganhou espaço e importância no século XIX com a invenção do telégrafo que proporcionou a veiculação diária de notícias e, principalmente, após o surgimento do BILD Zeitung em 1952. Completando 60 anos em 2012, este jornal ainda alcança recordes de tiragem diárias. Conhecidos pela publicação de fatos não verídicos ou fictícios, os jornais deste segmento, também considerados sensacionalistas, ganharam visibilidade a partir dos anos 1950, mas o que mudou em 60 anos? Como as formas de enunciar estão sendo utilizadas? Motivado pelos questionamentos acima descritos e pela importância em analisar este fenômeno de vendas na Alemanha que completa 60 anos em plena crise do jornalismo imprenso, este artigo pretende recuperar a história deste segmento jornalístico na Alemanha e buscar analisar discursiva e criticamente o papel da ficção e realidade em seus discursos.


Palavras-chave


memória do jornalismo; conteúdos enunciativos;ficção e realidade na notícia

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page