REPRESENTAÇÕES DA IDENTIDADE EM “A FILHA ÚNICA DO FILHO MAIS VELHO” E “SÓ BONDADE”.

Luciano Lage Feitosa Filho

Resumo


O objetivo deste trabalho é abordar, ainda que brevemente, as representações da identidade em dois contos: “A filha única do filho mais velho”, de Eliane Ganem, e “Só bondade”, de Jhumpa Lahiri. Para tanto, partir-se-á do instrumental dos Estudos Culturais, da concepção de identidade segundo Stuart Hall, do conceito de “comunidade imaginada”, de Benedict Andersen, e da ideia de identidade híbrida, segundo Homi Bhaba. Pretende-se, assim, provar que, na literatura contemporânea, há uma vertente literária que busca representar os diferentes modos de aculturação nos processos migratórios e que, na maioria das vezes, há o predomínio da identidade híbrida.

Palavras-chave


Identidade; migração; aculturação

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page