O NORMAL E O PATOLÓGICO EM SANTA EPONINA

Margareth Sales Silva

Resumo


O estudo apresentado quer problematizar o que é normalidade através do perfil patológico em Santa Eponina. O objetivo é apontar que não existem diferenças entre normal e anormal, sendo duas instâncias de um mesmo sujeito, seguindo os pressupostos de Canguilhem (1982). A metodologia empregada é a revisão bibliográfica, qualitativa, voltada para uma comparação entre o comportamento de personagens finissiculares brandonianas e teorias psicanalíticas na narrativa curta Santa Eponina. Com isso, busca-se uma inserção reflexiva na literatura portuguesa do final do século XIX.

Palavras-chave


Normatividade; Patologia; Expressionismo; Cultura.

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page