NEM TUDO EM LITERATURA SÃO FLORES: ARTE E MERCADO, CHARLES BAUDELAIRE, GRACILIANO RAMOS E AUGUSTO ABELAIRA

Erick da Silva Bernardes

Resumo


Este ensaio objetiva discutir a importância da escrita de Charles Baudelaire para a modernidade, bem como a sua relevância para a literatura de Augusto Abelaira e Graciliano Ramos. Toma-se como objeto de análise, especificamente, a obra Bolor (1999), pontuando com comentários provenientes da comparação com Memórias do cárcere (2011), “Linhas Tortas” (2012) e Infância (2008). Analisa-se a obra As flores do mal (2012), mais especificamente a seção “Quadros parisienses”, e o modo como Charles Baudelaire consegue com a sua poética “maldita” atingir artistas tão distintos entre si.

Palavras-chave


Charles Baudelaire, Augusto Abelaira Graciliano Ramos. Literatura.

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page