REFLEXÕES SOBRE O ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA

Celso Leopoldo Pagnan

Resumo


Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN, 1997) e Diretrizes Curriculares Estaduais (DCE, 2008) preconizam o ensino da língua portuguesa pautado nos gêneros textuais, aliando práticas de leitura, escrita e análise textual. Da teoria inovadora, parte-se imediatamente à tentativa de montagem de sequências didáticas, conforme postula a aplicação em sala de aula proposta pelo Interacionismo Sócio-discursivo (ISD). Com isso, muitos professores se encontram num ponto crítico: há a nova proposta, mas não há materiais suficientes que embasem essa aplicação prática. Fica o impasse: ensina-se gramática tradicional ou aplica-se a análise linguística? Muitos não têm ideia do que seja a análise linguística nem de qual é sua relação com a gramática. Portanto, o objetivo desse artigo é refletir sobre a relação entre os conteúdos da gramática tradicional e essa nova abordagem, chamada de análise linguística e como os professores de algumas escolas da rede estadual em Londrina veem essa questão. Para tanto, procedemos a uma revisão bibliográfica e à aplicação de questionários respondidos pelos referidos professores.

Palavras-chave


Lingüística; Letras; Língua Portuguesa

Texto completo:

PDF


Locations of visitors to this page